O Ministério Público de Santa Catarina utiliza cookies para gerar informações estatísticas de visitação, aperfeiçoar a experiência do usuário e prestar os serviços online.
Respeitando seu direito à privacidade, em breve você poderá fazer a gestão dos cookies por ferramenta própria disponível no site.
Até a implementação da ferramenta, você poderá optar por impedir/modificar esse tratamento por meio das configurações do seu navegador.



Dois traficantes denunciados pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) em Armazém receberam penas de 12 anos e 7 meses de prisão cada um e pagamento de multas individuais que somam cerca de R$ 116 mil. A Justiça ainda determinou o perdimento do veículo utilizado para o tráfico de drogas em favor do Comando da Polícia Militar de Gravatal, que atende a região.

A ação penal ajuizada pela Promotoria de Justiça da Comarca de Armazém relata que, no dia 4 de janeiro deste ano, Jean Willian Nunes Cardoso e Marlon Gerônimo Machado, que já eram investigados pela polícia por serem suspeitos de uma série de furtos e roubos na região e tráfico de drogas, foram abordados quando voltavam de Florianópolis.

A abordagem aconteceu na BR-101 e foi feita pelas Polícias Civil, Militar e Rodoviária Federal, no Município de Paulo Lopes. A dupla, porém, não atendeu ao comando de parada feito pelas autoridades e fugiu em direção ao Município de Armazém, onde abandonou o veículo, um automóvel VW/Gol ano 2015, com 99,6 kg de maconha no porta-malas.

Jean foi preso em flagrante logo em seguida, em Garopaba, e depois, preventivamente. Já Marlon não foi encontrado na ocasião e teve expedido mandado de prisão preventiva, cumprido dias depois. Desde então, os dois traficantes encontram-se presos no Presídio Regional de Tubarão.

Os dois foram condenados pelo juízo da Comarca de Armazém pelos crimes de tráfico de drogas e associação para o tráfico, conforme apontava a denúncia do Ministério Público. Os réus tiveram negado o direito de apelar da sentença em liberdade. A decisão é passível de recurso.

"A condenação dos réus reflete o excelente trabalho conjunto das Polícias Militar, Civil e Rodoviária na prevenção ao comércio ilícito de drogas na região, que pode contar com a atuação firme e prioritária do Ministério Público nos processos de repreensão ao tráfico de entorpecentes ", considera o Promotor de Justiça Lucas dos Santos Machado. (Ação Penal n. 5000392-19.2020.8.24.0159)