Com o objetivo de alertar a sociedade sobre a segurança na internet, o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) aderiu mais uma vez ao Dia Mundial da Internet Segura (11/2). Criada pela Rede Insafe, na Europa, a data envolve mais de 140 países e busca unir diferentes atores, públicos e privados, na promoção de atividades de conscientização em torno do uso seguro, ético e responsável da internet.

Atualmente, mais de 149 milhões de brasileiros têm acesso à internet, segundo o Relatório Digital in 2019, da We Are Social e da Hootsuite. Destes, apenas 9 milhões não possuem mídias sociais. O número de horas gastas on-line é ainda mais sintomático: os brasileiros passam 9 horas e 29 minutos por dia na internet, bem acima da média global de 6 horas e 42 minutos. Essa estatística deixa o Brasil em segundo lugar em termos de horas gastas on-line, atrás apenas das Filipinas. 

Para quem denunciar

Roubo de informações, desvio de dinheiro de contas bancárias, falsidade ideológica, sites falsos de compra eletrônica e crimes contra a honra (injúria, calúnia e difamação) são alguns exemplos de crimes virtuais. Se você foi vítima de algum cibercrime, reúna a maior quantidade de informações possível e faça a denúncia na Delegacia Virtual da Polícia Civil. Se o caso for de dano coletivo, denuncie ao Ministério Público de Santa Catarina (MPSC).

Em situações em que crianças e adolescentes são as vítimas, o MPSC atua em duas frentes. "Atuamos tanto com campanhas de conscientização, trazendo informação para sociedade, como com a responsabilização de pessoas que cometeram crimes na internet, como estupro de vulnerável ou de importunação sexual e produção e disseminação de materiais pornográficos que envolvam crianças e adolescentes", afirma o Coordenador do Centro de Apoio Operacional da Infância e Juventude, Promotor de Justiça João Luiz de Carvalho Botega.

Para crimes como pornografia infantil ou pedofilia, apologia e incitação a crimes contra a vida, maus-tratos contra os animais, intolerância religiosa e homofobia, é possível denunciar on-line na Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos. 


Post

Para proteger crianças e adolescentes

Estar on-line já faz parte da rotina das crianças e dos adolescentes que nasceram neste mundo digital. Segundo uma pesquisa divulgada em 2019 pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), 86% dos jovens com idade entre 9 e 17 anos são usuários de internet no país. Muitos, inclusive, aprenderam a digitar em eletrônicos antes mesmo de escrever no papel. Porém, ainda que tenham muitas habilidades no uso de ferramentas tecnológicas, nem todos têm consciência das responsabilidades e dos riscos que isso pode trazer.

"É preciso supervisionar o que o filho está fazendo na internet, estabelecer um limite de uso e acompanhar a vida social dele on-line. Assim como os pais se preocupam com os amigos da vida offline da criança e do adolescente, devem se preocupar com os amigos virtuais", explica o Promotor de Justiça João Luiz de Carvalho Botega.

Para manter a segurança dos seus filhos na internet, separamos algumas orientações:

Computador em casa: mantenha o computador em uma área comum da casa, de maneira que toda a família possa acompanhar e orientar o uso feito pelos jovens.

Comunicação: encoraje seus filhos a relatarem atividades suspeitas ou material indevido recebido por eles. A conversa é sempre a melhor forma de ajudar.

Dados pessoais: instrua as crianças a nunca divulgar dados pessoais na internet, como endereço, telefone, e-mail, fotos e endereço da escola. Além disso, mostre que o ideal é configurar o perfil para permitir que apenas amigos e familiares visualizem suas postagens, fotografias e vídeos. Essa é a versão moderna do "Nunca fale com estranhos".

Anexos suspeitos: evite que seus filhos abram anexos de e-mails ou serviços de compartilhamento de arquivos sem que você esteja lá para aprovar e verificar o conteúdo. Os fraudadores podem enviar vírus, pornografia e outros materiais questionáveis.

Para adultos

A equipe de Inteligência e Segurança Institucional do MPSC orienta os cidadãos para que naveguem de forma segura na internet:

Verificação em duas etapas: ative esse recurso de proteção duplamente seguro. Com ele, mesmo que alguém consiga descobrir a sua senha, não poderá acessar a conta sem o código de verificação. O WhatsApp é um dos aplicativos mais usados e com maior ocorrência de golpes. Por isso, mantenha a verificação em duas etapas: abra o aplicativo e vá até a aba "Configurações"; escolha o item "Conta"; selecione "Verificação em duas etapas"; clique em "Ativar".

Lorem ipsum dolor              

Promoções via e-mail: tenha cuidado com as promoções que aparecem na caixa de entrada do seu e-mail. Por meio de links, os criminosos direcionam o consumidor para cópias idênticas de sites famosos. Para não cair nessa, desconfie de preços muito baixos e fique de olho na URL do site para conferir se é o oficial. Conheça os principais golpes e fraudes que estão em circulação na internet!

Lorem ipsum dolor             

Senhas: crie senhas complexas, longas e alfanuméricas, com letras maiúsculas e minúsculas. Quanto mais complexa a sua senha, mais horas de trabalho serão necessárias para quebrá-la. Além disso, tenha várias senhas. Por mais difícil que seja memorizar todas, não as armazene em lugares de fácil acesso; baixe aplicativos de gerenciamento de senha para obter maior segurança.

Lorem ipsum dolor              

Permissões aos aplicativos: lembre-se de revisar periodicamente as permissões que você dá aos aplicativos. Apenas permita aquilo que for necessário para o melhor uso daquele serviço.