O Ministério Público de Santa Catarina utiliza cookies para gerar informações estatísticas de visitação, aperfeiçoar a experiência do usuário e prestar os serviços online.
Respeitando seu direito à privacidade, em breve você poderá fazer a gestão dos cookies por ferramenta própria disponível no site.
Até a implementação da ferramenta, você poderá optar por impedir/modificar esse tratamento por meio das configurações do seu navegador.



O Ministério Público de Santa Catarina ouviu por videoconferência, na manhã desta quinta-feira (16/4), o Secretário Estadual da Saúde, Helton de Souza Zeferino. A oitiva foi conduzida pelo Procurador-Geral de Justiça, Fernando da Silva Comin, e faz parte do procedimento administrativo instaurado para acompanhar a política pública implementada no Estado para enfrentamento da covid-19. 

Acompanhada pelo titular da 33ª Promotoria de Justiça da Capital, Luciano Trierweiller Naschenweng, que atua na área da saúde com abrangência estadual, a oitiva durou cerca de duas horas. O Secretário esclareceu uma série de questões abordadas pelo MPSC na recomendação expedida para o Governo do Estado. 

Sobre o número de leitos em UTI instalados na rede pública, por exemplo, o Secretário informou que existiam na manhã desta quinta-feira 1.091 leitos . Esclareceu, ainda, que estão em processo de compra 700 respiradores. Com essa compra o Estado terá, portanto, mais 700 leitos de UTI na rede pública. 

O Secretário Estadual da Saúde, Helton de Souza Zeferino, demonstrou preocupação, porém, com a a dificuldade de acesso às informações sobre os leitos disponíveis em hospitais privados, o que impede uma visão mais ampla da capacidade de atendimento à população catarinense.

A partir de agora, a Procuradoria-Geral de Justiça estuda, então a possibilidade de buscar tais dados junto aos hospitais privados. "Sabemos que o momento é excepcional, mas a transparência poderá salvar vidas. A partir do procedimento administrativo instaurado vamos atuar em diversas frentes de trabalho. O acesso a informações dos hospitais privados é de extrema importância", comentou o PGJ, Fernando da Silva Comin.

O Secretário Estadual informou também que o Estado está finalizando uma plataforma virtual em que constarão diversos dados sobre a doença em Santa Catarina e as medidas de prevenção que vêm sendo adotadas, de modo a dar transparência sobre as ações do Governo.