O Ministério Público de Santa Catarina utiliza cookies para gerar informações estatísticas de visitação, aperfeiçoar a experiência do usuário e prestar os serviços online.
Respeitando seu direito à privacidade, em breve você poderá fazer a gestão dos cookies por ferramenta própria disponível no site.
Até a implementação da ferramenta, você poderá optar por impedir/modificar esse tratamento por meio das configurações do seu navegador.



A 13ª Promotoria de Justiça da Comarca de Chapecó requereu à Secretaria Municipal de Saúde que se manifeste, no prazo de 48 horas a partir da tarde desta terça-feira (9/2), sobre "o possível colapso do sistema hospitalar em Chapecó e informe que providências está adotando para enfrentar a superlotação" dos leitos reservados ao atendimento de pacientes com covid-19. 

O Promotor de Justiça Felipe Schmidt também requer que o Município comprove, com a documentação apropriada e necessária, as medidas que vêm sendo aplicadas para garantir o atendimento de saúde à população.

O requerimento de informações foi motivado por notícias veiculadas na imprensa local e do estado sobre a superlotação das UTIs do Hospital Regional de Chapecó e do quadro de iminente colapso do sistema de tratamento e internação de pacientes de covid-19 nos hospitais da cidade e da região.

O ofício é o movimento mais recente do Inquérito Civil n. 06.2020.00001196-0, que foi instaurado em março de 2020 para acompanhar as iniciativas dos diferentes órgãos e autoridades municipais para enfrentar a pandemia causada pelo novo coronavírus.