O Ministério Público de Santa Catarina utiliza cookies para gerar informações estatísticas de visitação, aperfeiçoar a experiência do usuário e prestar os serviços online.
Respeitando seu direito à privacidade, em breve você poderá fazer a gestão dos cookies por ferramenta própria disponível no site.
Até a implementação da ferramenta, você poderá optar por impedir/modificar esse tratamento por meio das configurações do seu navegador.



Uma matriz de risco própria auxilia os municípios de Xanxerê, Abelardo Luz, Marema, Ipuaçu e Ouro Verde no enfrentamento ao coronavírus. A ferramenta, chamada de Chronos, foi construída a partir de uma articulação em rede conduzida pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) para complementar a matriz de risco do Estado como forma de agilizar a implementação de políticas públicas de combate à covid-19. Recentemente, o sistema foi aperfeiçoado e já opera na fiscalização da vacinação em Xanxerê.

O Promotor de Justiça Marcos Augusto Brandalise, que atuava na área da cidadania na Comarca de Xanxerê e acompanhava as medidas de combate à covid-19 por meio de um procedimento administrativo, explica que, no começo da pandemia, a matriz de risco do Estado tinha um atraso de informações e não trazia uma série de dados importantes para a tomada de decisão. "Precisávamos de números precisos para uma atuação mais efetiva e estratégica", relata.

Foi então que, em conversas com representantes da Defesa Civil, dos órgãos de fiscalização e das entidades privadas da cidade, o Promotor de Justiça firmou um acordo de cooperação com cada um dos envolvidos e passou a articular a construção de uma matriz de risco própria para o município de Xanxerê. O sistema municipal foi desenvolvido por um profissional da empresa BRF e por um especialista em tecnologia da informação. Ambos trabalharam de modo voluntário e batizaram o projeto de Chronos, o senhor do tempo, já que esse fator passou a ser um dos aliados na corrida para a manutenção da vida. 

Com o Chronos em operação, a Promotoria de Justiça conseguiu ampliar judicialmente em 50% o número de leitos de UTI covid em Xanxerê e as forças públicas da cidade passaram a implementar medidas públicas muito mais efetivas para evitar a contaminação pela doença. "Essa é uma ferramenta útil de implementação de políticas públicas de forma rápida e também serve para os cidadãos acompanharem diariamente a situação na sua cidade. A ferramenta fica hospedada na página de cada município e alguns dados são restritos aos gestores municipais", ressalta Brandalise.

Depois de Xanxerê, já assinaram termos de adesão ao Chronos os municípios de Abelardo Luz, Marema, Ipuaçu e Ouro Verde. Em breve, Chapecó também deve aderir à matriz de risco municipal, que é gerenciada pela Coordenadoria Regional da Defesa Civil. "O Chronos é uma ferramenta de análise rápida e intuitiva, que complementa a ferramenta estadual e empodera os órgãos competentes e o cidadão para a tomada de medidas de prevenção e de controle da doença", afirma o Coordenador Regional da Defesa Civil em Xanxerê, o Sargento do Corpo de Bombeiros Luciano Peri. 

A ferramenta gera diariamente uma série de relatórios, como a evolução dos casos ativos, do número de pessoas confirmadas com a doença, de casos suspeitos e de casos descartados por município. Também é possível acompanhar a evolução dos casos monitorados, bem como dos casos de óbito e de cura por cidade. 

Vacinação

O Chronos começou a emitir também relatórios acerca da vacinação em Xanxerê. Segundo o Coordenador Regional da Defesa Civil, a ferramenta está passando por ajustes, mas já auxilia o município desde que a vacina contra a covid-19 chegou. 

Já são mais de 450 pessoas vacinadas na cidade. ¿Esse sistema auxilia no controle social. O povo pode fazer o acompanhamento e até ajudar na fiscalização¿, comenta Peri.