O Ministério Público de Santa Catarina utiliza cookies para gerar informações estatísticas de visitação, aperfeiçoar a experiência do usuário e prestar os serviços online.
Respeitando seu direito à privacidade, em breve você poderá fazer a gestão dos cookies por ferramenta própria disponível no site.
Até a implementação da ferramenta, você poderá optar por impedir/modificar esse tratamento por meio das configurações do seu navegador.



Dois irmãos, Robson Tadeu Rodrigues e Rafaela Rodrigues, denunciados pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) por tráfico e associação para o tráfico de drogas em Pinhalzinho, foram condenados a penas superiores a 10 anos de prisão.

Os réus foram denunciados pela Promotoria de Justiça de Pinhalzinho após uma investigação da Polícia Civil em 2019 que constatou o comércio ilegal de entorpecentes, em especial cocaína, praticado pelos irmãos com auxílio de um adolescente.

Conforme relata o Promotor de Justiça Douglas Dellazari, as investigações foram iniciadas após denúncias anônimas. Com base nos depoimentos de usuários, conversas extraídas de celulares apreendidos e demais provas colhidas durante a investigação policial, delineou-se a associação para o tráfico de drogas. Segundo foi apurado, Robson era responsável pela aquisição da droga, a qual era vendida posteriormente por ele próprio, pela irmã e pelo adolescente.

Robson foi condenado a 10 anos, oito meses e dez dias de prisão e ao pagamento de 1.568 dias-multa. Já Rafaela foi penalizada com 10 anos de prisão e pagamento de 1.500 dias-multa. As penas deverão ser cumpridas em regime inicial fechado e cada dia-multa corresponde a 1/30 do salário mínimo vigente.

A sentença é passível de recurso. Rafaela, no entanto, presa preventivamente no curso da investigação, não poderá fazê-lo em liberdade. Robson também está preso preventivamente, mas em outra ação penal, também por tráfico de drogas. (Ação n. 5000331-03.2020.8.24.0049)