O Ministério Público de Santa Catarina utiliza cookies para gerar informações estatísticas de visitação, aperfeiçoar a experiência do usuário e prestar os serviços online.
Respeitando seu direito à privacidade, em breve você poderá fazer a gestão dos cookies por ferramenta própria disponível no site.
Até a implementação da ferramenta, você poderá optar por impedir/modificar esse tratamento por meio das configurações do seu navegador.




A 4ª Promotoria de Justiça da Comarca de Jaraguá do Sul, denunciou, por tentativa de homicídio, os detentos Eduardo Daniel Rita Rosa, vulgo "Saddam", Alisson Fernando Silveira, conhecido como "Pesadelo" e Daniel Ângelo da Silva, o "Lincoln". O Ministério Público pede ainda que eles sejam julgados pelo Tribunal do Júri. A denúncia foi recebida no dia 12 de agosto de 2022, pela 1ª Vara Criminal de Jaraguá do Sul. A partir de agora, os acusados são considerados réus na ação penal. 

A denúncia descreve que "obedecendo decreto das lideranças da facção criminosa de que fazem parte, os réus atentaram contra a vida do também detento, Izael Freire Barbosa. O crime aconteceu no dia 16 de junho de 2022, próximo das 8 horas e 50 minutos, em uma das alas do Presídio Regional de Jaraguá do Sul". 

De acordo com a denúncia, Saddam, Pesadelo e Lincoln, como são conhecidos na facção, juntamente com outros internos do Bloco C daquela unidade prisional, realizaram uma reunião, conhecida no meio policial como "R", onde participam apenas integrantes da organização criminosa, para tratar sobre assuntos ligados a facção.  

Após a reunião, Saddam foi cumprir o "decreto" - ordem emitida pela facção para matar - contra a vítima. Ele agarrou Izael pelas costas e desferiu o golpe conhecido como gravata. Arrastou a vítima até um dos banheiros localizado no pátio do Bloco C do Presídio e começou a dar chutes e pisões contra as regiões do abdômen e crânio. 

Na sequência, Alysson e Daniel aderiram à ordem do comando da organização criminosa e começaram a agredir, também com chutes e pisões, na vítima, que lhe causaram lesões corporais já constatadas por Laudo Pericial, como edema na face, hematomas no pescoço e próximo ao crânio. Consta ainda na denúncia que "em tomografia de crânio realizada na vítima, revelou fratura de ossos do rosto e inchaço na região do cérebro" 

De acordo com o Promotor de Justiça, André Teixeira Milioli, da 4ª Promotoria de Justiça da Comarca de Jaraguá do Sul, "os acusados não conseguiram cumprir a ordem de matar a vítima, pois os Policiais Penais conseguiram controlar a situação e prestar os atendimentos necessários à vítima Izael". 

Na denúncia, foi detalhado que "o motivo foi torpe, pois os réus tentaram matar a vítima por determinação das lideranças da organização criminosa. O conhecido 'decreto'. Consta ainda que a vítima foi pega de surpresa e não conseguiu se defender das agressões". 

"Verificou-se também que durante as investigações policiais a crueldade utilizada pelos denunciados na execução da tentativa de homicídio, pois foram desferidos reiterados pisões contra a cabeça da vítima, o que lhe causou intenso sofrimento físico", finalizou o Promotor de Justiça. 

Os três denunciados foram acusados pelos crimes de tentativa de homicídio qualificado, por ter sido praticado por motivo torpe, impossibilitando a defesa da vítima e com crueldade, pois as agressões foram desferidas com repetidos pisões contra a cabeça de Izael.