O Ministério Público de Santa Catarina utiliza cookies para gerar informações estatísticas de visitação, aperfeiçoar a experiência do usuário e prestar os serviços online.
Respeitando seu direito à privacidade, em breve você poderá fazer a gestão dos cookies por ferramenta própria disponível no site.
Até a implementação da ferramenta, você poderá optar por impedir/modificar esse tratamento por meio das configurações do seu navegador.



Na ação civil pública com pedido de liminar, ajuizada na sexta-feira (10/7), o Promotor de Justiça Luciano Naschenweng demonstra, a partir de denúncias, que, por causa da falta dos medicamentos na rede hospitalar do estado, o procedimento de entubação de pacientes com covid-19 - para serem mantidos em respiração mecânica - vem sendo realizado com administração de fármacos de sedação e outros não apropriados para essa finalidade, apresentando risco aos internados.

"Este órgão de execução, quase diariamente, vem sendo procurado por médicos que informam a falta de sedativos e que estão utilizando morfina na ausência de anestésicos, o que, segundo esses profissionais, não é o meio adequado e pode ocasionar consequências graves", reforça  Naschenweng

Em sua decisão negando a liminar, o Juiz Jefferson Zanini afirma que o Governo teria comprovado que não há desabastecimento dos medicamentos. Como a decisão contraria as informações recebidas de diversas regiões do estado, a Promotoria de Justiça irá recorrer.