O Ministério Público de Santa Catarina utiliza cookies para gerar informações estatísticas de visitação, aperfeiçoar a experiência do usuário e prestar os serviços online.
Respeitando seu direito à privacidade, em breve você poderá fazer a gestão dos cookies por ferramenta própria disponível no site.
Até a implementação da ferramenta, você poderá optar por impedir/modificar esse tratamento por meio das configurações do seu navegador.



O Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) requereu ao Poder Judiciário que seja expedida ordem para o efetivo cumprimento da medida liminar que determinou ao Governo Estadual a imposição de medidas preventivas de combate à pandemia aos municípios de acordo com a Matriz de Avaliação de Risco Potencial Regional.

De acordo com a petição da 33ª Promotoria de Justiça da Capital, o prazo para o Estado cumprir a medida liminar deferida se esgotou à meia-noite desta quarta-feira (12/8) sem que se seguisse o comando judicial segundo o qual medidas para as regiões classificadas no risco potencial gravíssimo sejam adotadas diretamente pelo Governo do Estado, de responsabilidade do Governador e do Secretário de Estado da Saúde.

Segundo o Promotor de Justiça, o Estado se limitou a sugerir as medidas a serem aplicadas pelos municípios, sem, no entanto, adotá-las em conformidade com as recomendações dos órgãos técnicos estaduais e do Centro de Operações de Emergência em Saúde (COES).

"A rápida adoção das medidas recomendadas tecnicamente e a clareza do processo são fundamentais neste momento", considera o Promotor de Justiça Luciano Naschenweng, que na petição se manifesta pela intimação do Estado para que dê, com a máxima urgência, cumprimento integral à decisão, sob pena de multa diária no valor de R$ 50 mil, estabelecida na medida liminar.

O Ministério Público apresentou a petição na manhã desta quinta-feira (13/8) e aguarda, agora, decisão do Juízo da 2ª Vara da Fazenda Pública da Comarca da Capital.