O Ministério Público de Santa Catarina utiliza cookies para gerar informações estatísticas de visitação, aperfeiçoar a experiência do usuário e prestar os serviços online.
Respeitando seu direito à privacidade, em breve você poderá fazer a gestão dos cookies por ferramenta própria disponível no site.
Até a implementação da ferramenta, você poderá optar por impedir/modificar esse tratamento por meio das configurações do seu navegador.



Como ocorre  o abuso sexual infantojuvenil?

* Na forma de ABUSO SEXUAL, que é a utilização de uma criança ou um adolescente, por um adulto ou mesmo adolescente, para a prática de qualquer natureza sexual. 

* Ou na forma de EXPLORAÇÃO SEXUAL, que se caracteriza pela utilização sexual de crianças e adolescentes, com a intenção de lucro ou troca, seja financeira ou de qualquer outra espécie, em redes de prostituição, pornografia, tráfico ou turismo sexual. (Fonte: Fórum Catarinense Pelo Fim da Violência e da Exploração Sexual Infanto-Juvenil).         


O que é a "Lei do Silêncio"?


É a situação que ocorre quando a criança foi abusada sexualmente e é obrigada a se calar, geralmente por medo das ameaças feitas pelo abusador. Também existe a situação em que o abusador faz a criança se sentir culpada e, assim, ela não denuncia por "vergonha". Outra situação ocorre quando a família fica sabendo e tem medo de denunciar, pensando que algo de pior possa acontecer, ou, ainda, quando a família é ameaçada ou se torna conivente com a situação. (Fonte: Senado Federal)

Você sabia...


...que, segundo dados do Programa Sentinela Estadual, uma média de 500 crianças e adolescentes são vítimas, mensalmente, de abuso e/ou exploração sexual em SC? Isso representa cerca de 16 casos confirmados por dia. Contudo, considera-se que esses números representam, apenas, 10% do total de casos que, efetivamente, ocorrem uma vez que o abuso sexual acontece, via de regra, dentro do núcleo familiar, no qual, infelizmente, ainda prevalece a lei do silêncio.